Recomendação de Livro – A Tribo Jornalística

O Ernesto é do partido X, que está no Poder, e lê habitualmente o jornal Y. 

Na segunda-feira, o Ernesto partilha uma notícia do Y sobre os negócios da mulher de um combativo deputado do partido W. “Estes gajos acham que somos todos cegos”, escreve no post, cuspindo fogo sobre o “sentimento de impunidade de alguns políticos”.

Na quinta-feira, o mesmo jornal Y faz manchete com alegadas irregularidades no financiamento da campanha do X. O Ernesto não partilha a notícia, mas vocifera nas redes contra “estes jornalistas”, que adoram fazer o jogo das oposições. “Será que ganham alguma coisa com isso?”, pergunta – insidiosamente – o Ernesto a quem perde tempo a ler as caixas de comentários dos jornais online. 

Entre palmas e assobios

Ora, Ernestos há muitos. Gente que bate palmas às notícias de que gosta, mas aponta o dedo ao jornalismo quando a notícia não agrada. 

Oscar Wilde vai perdoar-nos se dissermos que, neste caso, o importante é não ser Ernesto.

A tribo jornalística”, do falecido mestre Traquina, ajuda a perceber que ser é esse, o Jornalista. 

Livro de Nelson Traquina

Palavra do Dia – Deferir

de·fe·rir 
(latim defero, -ferre, trazer de um lugar para outro mais baixo, trazer, levar, abater)
verbo transitivo

1. Despachar favoravelmente

2. Conceder (o pedido).verbo intransitivo

3. Condescender (por deferência), ceder.Confrontar: diferir


“Deferir”, in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2020, https://dicionario.priberam.org/Deferir [consultado em 17-08-2020].

10 provas de que a língua portuguesa não é para amadores

No mundo globalizado de hoje, muitos são aqueles que se preocupam em aprender um novo idioma, procurando ganhar destaque no mercado de emprego concorrido.

Ao mesmo tempo, a língua portuguesa tem vivido dias difíceis, fruto da influência do inglês e da rapidez com que somos obrigados a escrever nos nossos smartphones, sujeitos às alterações criativas do corretor ortográfico.

Mas o que não podemos ignorar é que é precisamente neste momento, em que tudo acontece tão rápido, que a língua e os cuidados que temos com ela fazem toda a diferença. Se considerarmos que as primeiras impressões são aquelas que mais perduram e que as mesmas são causadas por pequenos sinais que damos ao comunicar, o que pensaria de uma pessoa que dá erros ortográficos? Contrataria alguém que não é capaz de escrever um e-mail de forma cuidada? Acreditaria numa promoção de um produto que apresenta falhas no português? Dificilmente…

Leia todos os dias, não hesite em responder às suas dúvidas com um dicionário (que pode esta à distância de um clique) e leia várias vezes os seus textos antes de os entregar. Se não, pode acabar num post de Instagram com a hashtag #errosdeportuguês.

A, à, á, há ou ah?

É uma das causas mais frequentes de erros em Português!

Este artigo facilita a compreensão do uso de várias combinações da letra “a”. A reter o seguinte: a melhor forma de perceber se devemos usar “há” ou “à” é substituindo esse “há” ou “à”, na frase, pela palavra “existe”. Se fizer sentido então é porque devemos usar “há”.

Palavra do Dia – Escopo

es·co·po |ô|


(latim scopus, -i, do grego skopós, -oú, observador, espião, vigilante)
nome masculino

  1. Local bem determinado a que se aponta para atingir. = ALVO, MIRA
  2. Objectivo que se pretende atingir. = DESÍGNIO, FIM, INTUITO, PROPÓSITO
  3. Limite ou abrangência de uma operação (ex.: ainda não definiram o escopo da campanha).

Plural: escopos |ô|.
Confrontar: escopro.
Palavras relacionadas: escopro, intuito, alvo, escopa, fim, facho, objecto.

Fundos Virtuais do Zoom

O Zoom é um serviço de videoconferência utilizado para encontros virtuais com outras pessoas, via vídeo, áudio ou ambos. Ficou popular na sequência das restrições causadas pela Covid-19, que colocou milhões de pessoas em teletrabalho e telescola.

De plataforma para reuniões pontuais, o Zoom rapidamente transformou-se no escritório em casa para muitos funcionários, empresários e estudantes, que passaram a expor o conteúdo das suas casas aos seus grupos de trabalho. Solução? Fundos virtuais, que camuflam as salas desarrumadas ou as aulas assistidas diretamente da cama.

Saiba como adicionar um fundo virtuais à sua conferência

Consiste numa imagem/vídeo personalizável, que aparece atrás de cada orador, substituindo o cenário real captado pela câmara. Para além de proteger a intimidade do seu lar, permite dar um toque criativo à sua comunicação.

Através do site de criação de imagens Canva, pode até personalizar qualquer fotografia ou vídeo e exportá-los no tamanho compatível com o Zoom.

Confira algumas sugestões, das mais conservadoras às mais arrojadas.